A coluna do Pôncio – 20.12.2017

Podeis enganar toda a gente durante um certo tempo;
podeis mesmo enganar algumas pessoas todo o tempo;
mas não vos será possível enganar sempre toda a gente.

Desculpem o atraso na publicação da habitual Coluna do Pôncio, culpa exclusiva de moi-même, mas as toneladas de emails que tenho para ler e digerir, vão-me tirando o tempo para outras actividades.
Para que não venha nenhum processo para cima cá do “je”, aviso que as toneladas de emails, nada têm a ver com os que ultimamente andam na boca de toda a gente.
Nunca abri nenhum link (nem sei fazer isso), nunca li nenhum (se li não me lembro), nem vi nenhum impresso em site, blog ou redes sociais (se vi estava de óculos escuros e não vi com clareza), por isso se me acusarem de algo, não vi, não sei e não me lembro.
Após esta declaração de interesses, vamos a uns pequenos detalhes desta semana atribulada, que me enviaram, não sei a sua proveniência, nem quero saber e se souber, não me lembro. OK?

O Benfica e a comunicação social

O que a revelação de emails obviamente falsos, ou talvez não, tem demonstrado à saciedade, é que a promiscuidade que se sabia existir entre o clube do “polvo encarnado” e a maioria da comunicação social, melhor será dizer alguns jornalistas de alguns órgãos da distinta comunicação social, existe mesmo e pode ser provada na leitura atenta dos emails trazidos à estampa de personalidades como Pedro Guerra, Paulo Gonçalves e Luis Bernardo.
Os tentáculos estão bem distribuídos por todo o lado, com notas enviadas para difusão, noticias confidenciais que devem ser publicadas como “fonte oficial do clube”, pedido de bilhetes para jogos feitos por comentadores televisivos “insuspeitos” e “isentos”.
Alguns deles ainda agradecem e perguntam se “a noticia estava bem assim?” ou ainda se vangloriavam das páginas atribuídas à noticia.
Um forrobodó a que certamente, não tenho qualquer dúvida que é o que vai acontecer ou o meu nome não seja Tibúrcio, os tão pressurosos Sindicato dos Jornalistas, Comissão da Carteira Profissional e ERC saberão tomar as necessárias medidas disciplinares para punir as violações grosseiras ao código deontológico, quer por parte de jornalistas e órgãos de comunicação social.
No entanto, a pior das promiscuidades coisas está aqui bem reproduzida e,
que inequivocamente, “sugere”, repito o termo “sugere”, que a comunicação do Benfica manda na agenda do jornal a Bola

A promiscuidade é total, e o pior, como se costuma dizer, ainda deverá chegar, com a divulgação de mais gigas de emails, que estão, aos poucos a destapar a “careca” a muitos “isentos” “idóneos” e “insuspeitos” directores, jornalistas e comentadores que “choram baba e ranho” quando são acusados de cartilhados ou vendidos, mas que agora não arranjam explicação para as atitudes tomadas, mas muitos há ainda, que estão com o coração aos pulos, antevendo em que “leva de emails” virá o seu nome à tona.

O reino da arbitragem

Para quem ainda não ouviu, tem aqui um excerto, sobre o que se vai passando no mundo da arbitragem, principalmente sobre a falha de comunicação do VAR.

Falhou no Aves-Benfica e falhou novamente no Tondela-Benfica, curiosamente com o mesmo “técnico responsável” nos dois encontros.
Quantas vezes falhou mais, sem que o CA tenha reportado o assunto?
O numero de câmaras disponíveis para o VAR têm sido iguais em todos os jogos?
Temos transmissões com 5, 6, 7, 8 e 10 câmaras? Porquê?
Os regulamentos da própria Liga não são para cumprir?
Quem foram os três árbitros, da mesma associação, que não aderiram à tão propalada greve ou pedido de dispensa que a agremiação quis fazer?
Quando Jorge Sousa foi castigado pelo Conselho de Disciplina, onda solidária se levantou para apoiar o colega.
Mandaram-se fazer camisolas de apoio ao árbitro portuense, mas nunca chegaram a ser usadas. Porquê?
Qual foi o árbitro “amigo” que dissuadiu os colegas de a usarem?
Onde estão as camisolas? Na casa de quem estão guardadas?
Vai uma união na classe, não vai? Depois querem que nas decisões de campo se entendam com o VAR’

Atentos porque eles andam aí e os outros estão a colocar, aos poucos, as manguinhas de fora.
Termino com um abraço aos que deitam o canto do olho por esta coluna, desejando um Santo e Feliz Natal a todos os portistas.


Um abraço do
Bernardino Barros

Comentários

Comentários

1 thought on “A coluna do Pôncio – 20.12.2017

  1. Quanto às festas natalícias, igualmente para si e todos os seus caro BB.
    Quanto à “Coluna”, em nome, atrevo-me, de todos os portistas o meu muito obrigado, pelo seu trabalho de denúncia contínua e continuada dos sacanas-sem-lei.
    Abç
    PS: Pergunto, e se possível pode pf levar à colação num dos “Universo Porto”, porque não se encontra o “Polvo Encarnado” à venda aqui em Lisboa? Terei, porventura, que me deslocar a latitudes mais a norte do Mondego para conseguir um exemplar?

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *